Introdução ao Taekwondo

Apesar de algumas disciplinas marciais reclamarem para si a criação das artes marciais, será talvez mais sensato defender a tese de que as artes marciais não tenham nascido de um único lugar, mas sim envolvê-las num processo de aparecimento muito mais lato comumente aceite, de que as artes marciais surgiram pela necessidade de sobrevivência e de auto-defesa do homem, um pouco por todo o extremo oriente.

No que diz respeito ao taekwondo, as primeiras referências remontam ao séc. 37 a.c., período onde a península da Coreia estava dividida em três reinos, Koguryo, Paekje, Silla.

O reino de Silla era o mais pequeno dos três existentes, sendo constantemente atacado pelos seus dois vizinhos. Foram estas constantes invasões que levaram a nobreza de Silla a criar uma organização militar chamada Hwarang, que desenvolveu um sistema de luta para proteger o seu reino.

Esta organização tinha um código de honra muito rigoroso que mantinha até à sua morte e que era constituído por cinco princípios muito importantes:

1)       Obediência ao Rei e fidelidade à Nação;

2)       Respeito e obediência aos pais;

3)       Lealdade para com os amigos;

4)       Nunca recuar diante dos amigos;

5)       Só matar quando não houver alternativa.

Esta organização caracterizava-se por um forte desenvolvimento do corpo e da mente e os seus guerreiros contribuíram em grande parte para a unificação da península.

No final do século X e no seguimento da unificação da Coreia a prática de Taekwondo passou a ser comum, quer em rituais religiosos quer em provas de destreza física e os campeões destas provas eram premiados com as maiores honras e distinções, passando a ocupar altos cargos governamentais.

Durante os séculos seguintes, diversas artes marciais continuam a ser praticadas, como o Taekyon, o Subak, Tang-soo-do etc…

A seguir à ocupação Japonesa em 1909, foi proibida qualquer manifestação cultural Coreana, o que levou ao declínio das artes marciais Coreanas, que só continuaram a ser praticadas por monges budistas e Coreanos exilados noutros países.

Com o final da 2ª Guerra Mundial, deu-se a libertação do domínio Japonês a 15 de Agosto de 1945, os anciãos da comunidade Coreana das artes marciais reuniram-se para fazer reviver as artes marciais tradicionais. No entanto, a unificação das artes marciais Coreanas não foi fácil a assistiu-se à criação desordenada de diferentes disciplinas marciais.

O governo Coreano, como parte da sua campanha para reconquistar a sua identidade nacional e procurar enaltecer no povo Coreano o espírito nacionalista e provocar nestes o desejo de afirmação de um povo, resolveu nomear um major-genera( Choi-Hong-Hi) cuja missão era unificar as artes marciais Coreanas e criar uma arte guerreira que fosse mental e tecnicamente superior a qualquer outra.

Para isso o General Choi-Hong-Hi criou um comité, constituído pelos principais mestres das diferentes escolas, por filósofos, monges budistas, peritos em medicina oriental e cientistas, que procuraram dar um suporte técnico-científico, que fizesse da arte um verdadeiro exemplo de destreza e capacidades físicas, não só em situações de defesa pessoal, como também numa prática desportiva salutar.

Assim em 1957 foi criada uma nova arte marcial / desporto de combate, o Taekwondo. Tal escolha deve-se principalmente pela semelhança encontrada com o Taekkyon (ancestral arte marcial Coreana). Desde o princípio dos anos 60, muitos mestres foram enviados para todo o mundo, promovendo e ensinando o Taekwondo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s